domingo, 15 de novembro de 2009

Os bastidores da "marolinha"

Banco Central conta que crise não foi "marolinha" e na época o desespero tomou conta do governo Lula

Por Políbio Braga - aqui

O diretor de Política Monetária do Banco Central, Mário Torós, está com a cabeça a prêmio desde sexta-feira e é possível que esta semana ele e toda a diretoria caiam, incluindo o presidente, Henrique Meirelles. Numa entrevista bombástica aojornal Valor de sexta,que você lerá de novo a seguir (o editor postou o material na sexta mesmo), ele conta:

- Na crise financeira global, jogamos dinheiro de helicóptero para ajudar os bancos.

Enquanto Lula fazia bravatas, dizendo que a crise era uma marolinha para o Brasil, o Banco Central e o ministério da Fazenda (na entrevista, Mantega é apresentado como um falastrão de hora errada) desesperava-se para conter hemorragias que levaram Meirelles a procurar Lula para pedir demissão (Meirelles entregou a carta) caso ele não o autorizasse a agir. Lula cedeu e o Banco Central 1) queimou reservas até conter a alta do dólar, que foi a R$, inclusive em função de ataques especulativos de grandes proporções. 2) botou dinheiro a rodo para impedir uma quebradeira generalizada de pequenos bancos. Por alto, o governo enfiou R$ 48 bilhões para ajudar os bancos. Tanto no caso do apagão como neste caso da crise financeira global, Lula não tem por que contar vantagem sobre seu antecessor, FHC.

Conheça (finalmente) os bastidores
da crise financeira global no Brasil.

Todas as sextas-feiras o jornal Valor edita seu único caderno especial semanal, intitulado “Eu”. Nesta sexta, a reportagem especial do caderno conta os bastidores da crise financeira global. O material centra-se em confidências de Mário Torós, diretor de política monetária do Banco Central, que revela os piores momentos da crise no Brasil e revela em detalhes como foi a corrida bancária. Pouca gente sabe, mas os saques foram estimados em r$ 40 bilhões em apenas uma semana. . A reportagem é assinada pelos repórteres Cristiano Romero e Alex Ribeiro, ambos da sucursal do Valor em Brasília.

CLIQUE AQUI para acompanhar o inteiro teor do clipping.

Um comentário:

  1. STÊNIO, eu já não comento nada sobre isso, queria achar um tópico meu sobre a merda que é nossa economia.
    Ainda há poucas semanas deu o escãndalo da merenda escolar em Canoas, prefeitura petista, nenhum comentário, nossa economia é frágil como cristal cica.
    O PT dolarizou nossa economia, é mais barato computador do que comida.
    Fazer o que, vão acabar comendo celulares e placas de vídeo.

    Nunca teve tanto carro barato para se comprar em leilão.
    O próximo governo é que vai sentir a pimenta no rabo.

    ResponderExcluir