domingo, 7 de outubro de 2012

OS MILAGRES DA MADRUGADA

Pois,
As madrugadas televisivas de algumas TVs brasileira são cheias de milagres, que fariam Jesus Cristo, um mero personagem de fábulas. São cegos, deficientes físicos e mentais curados pelos simples toques das mãos ou das rezas de BISPOS realmente agraciados pelos dons divinos. A ciência não pode explicar, mas a polícia e o ministério público tinham a obrigação social de buscar as verdades. São várias curas e tão rápidas que em breve não seria necessário hospitais e postos de saúde, bastaria enviar os doentes àquelas igrejas.
Não quero abalar a fé de ninguém mas algumas perguntas se fazem necessárias:
-  Esse DEUS magnífico, onipotente, onisciente, onipresente, precisaria de 300 representantes, de 300 velas, ou de alguma rosa, ou óleo proveniente de determinado lugar para realizar suas bem aventuranças?
- Deus precisa de 10% de sua remuneração para recompensá-lo?
A política e a religião no Brasil são verdadeiras catástrofes intelectuais.
Deus até poderia dispor de 10% de seu tempo de ócio, mas jamais de 10% do suor de seu trabalho, mas isso é algo particular de cada um, e de qual Deus cada um acredita.
No Brasil quase tudo e todos são corruptos, mas na política e na religião os índices são absurdos.
O governo fica com 45% de meu trabalho, e os religiosos ainda gastam 10% com suas religiões, sendo mais exato, os deuses políticos e religiosos destes crentes toam 55% da renda de seus seguidores.
O pastor ou bispo R. R. Soares, chega ser cômico, e a infra-estrutura de segurança dentro dessas igrejas é maior que a do congresso nacional.
Religiões corruptas e políticos corruptos são provenientes da educação e cultura do povo.
A semelhança entre o dízimo e o bolsa família é óbvia, no bolsa família trabalhadores sustentam vagabundos funcionais, no dízimo trabalhadores sustentam religiosos funcionais vagabundos.
Deus não precisa de dinheiro, a oração e a fé são seu alimento.
Quem precisa do dinheiro é o homem, por trás dos títulos.
bom dia



Nenhum comentário:

Postar um comentário