sexta-feira, 14 de novembro de 2014

UMA VARA DE PORCOS

Pois,
O Brasil é o país da pecuária.
É o maior celeiro de varas e varas de porcos do mundo.
Aqui você trabalha por 35 anos, e  maldito fator previdenciário rouba sua aposentadoria.
Os governos após governos diminuem sua pensão, até o limite em que você não consegue comprar remédios em sua velhice, não pode sair de casa nem frequentar  os amigos ou divertir-se corretamente.
Sem contar com os amigos do alheio roubando e assassinando os idosos, para consumo de drogas, por absoluta inépcia da segurança pública.
Velhos e aposentados não estão seguros nem em suas casa, nem nas ruas ou transporte público.
Velhos e aposentados tem de usar táxis, para pagar suas contas ou receber seus proventos.
A previdência privada seria a solução, mas as fiscalizações públicas são inócuas, e no final ou os bancos roubam você, ou os fundos fecham.
A politicagem e o funcionalismo público não sofrem desse problema, tem planos de saúde, aposentadorias integrais, e fundos de pensão públicos, que são acionistas de empresas privadas, e cabides de empregos públicos.
Os porcos se contentam com comida e chiqueiros novos. 
As ações sociais do governo fornecem bolsas para alimentação, programas sociais com casas construídas em um chiqueiro próximo, remédios de eficácias duvidosas e favores de merda, como andar de ônibus gratuitamente, filas especiais, e o tratamento privilegiado do "Seu último Suspiro" mais conhecido por SUS, onde você espera seu atendimento ao lado dos postos funerários.
Diferente dos porcos verdadeiros, nós não estamos aqui para a engorda, e sim para o abate.
Nós não servimos nem para torresmo, nossa gordura foi deixada no tempo com o esforço de nosso trabalho, nos calos das mãos, hoje reduzidas à veias e rugas.
Porcos se reproduzem assustadoramente, basta olhar, o número impressionante de nossa juventude, que nada produzem culturalmente, além de financiar clínicas de abortos e traficantes de aluguel.
Nosso porcos não conseguem ver o quão bom caçadores de trufas seriam, se pudessem olhar os carvalhos, envelhecidos que sustentaram essa nação través de árduas lutas no frio, no calor, na chuva e nos tempos de seca.
Os novos porcos sequer reconhecem suas origens, suas paternidades e matrizes.
Não tem sonhos e ilusões, engordam às custas do lixo, da lavagem servida no cotidiano.
Lembrando do crack da bolsa de 1929, faz-se a terrível constatação, que aqui aconteceu justamente o oposto, desde 1988 nossa queda se deve a bolsa do crack.
Esta infelizmente patrocinada pelo governo.
Enquanto isso torçam por seus clubes de futebol.
bom dia...


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário