terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

DÍVIDA DO GOVERNO COM A PREVIDÊNCIA SOCIAL

Pois,
Vamos falar de previdência.
A lei Elói Chaves de 1923 instituiu a fundação dos institutos de pensões dos trabalhadores.
Vários foram fundados para atender as diversa classes trabalhadoras.
IAPI, IAPC, IAPFESP, IPASE, IAPM, IAPC, IAPB entre os principais.
Em 1945 com capital sobrando essas instituições iniciaram a investir nas áreas de alimentação, habitação e saúde de seus associados.
1947 989.038.611,33 
1950 932.369.823,95 
1951 1.849.024.295,19 
1957 4.826.370.289,43 
1959 3.959.172.377,83 
1960 5.156.075.797,28 
1961 5.134.852.221,96 
1962 4.784.316.483,35
Acima a  evolução da dívida federal com os IAPs com dados atualizados de 1998, infelizmente não achei outras atualizações.
Os investimentos em empresas com a CSN e a Vale foram milionários.
Abaixo os investimentos na construção de Brasília, em terrenos e obras de infraestrutura.
IAPI 59.535.440,41 
IAPC 48.030.193,08 
IAPB 168.307,61 
IAPFESP 13.164.506,75 
IAPM 13.774.840,88 
IAPETC 8.286.125,66 
Totais  188.959.414,40
Em 1964 a dívida federal com os IAPs era enorme.
A título de comparação os IAPs faturavam 43 bilhões e o orçamento federal era de 113 bilhões.
Continuando a derrubar a situação o governo decide em 1966 unir todos IAPs em um órgão estatal chamado INSS.
Em 1967 a união devia 502 milhões.
Em 1976 2,7 bilhões, lembrando sempre que são cálculos para 1998.
Sendo que o acumulado da União em 1976 era da ordem de mais de 5 bilhões de reais.
Sugiro a leitura do link abaixo:
IAPS  
Exige-se a reforma da previdência com a equiparação dos regimes RGPS com o RPPS.
Ninguém deve ganhar mais que o teto no setor público  do que o trabalhador do setor privado.
Não vou fazer cálculos espúrios, mas a dívida hoje é da casa de trilhões.
Quem quiser ganhar mais que o limite de teto do INSS que faça previdência privada.
Em países de primeiro mundo geralmente são aos cuidados de sindicatos.
Porém, aqui no Brasil deixas as galinhas nas mãos das raposas sindicais é fatídico.
Tivessem os governos todos cumprido suas partes na previdência, hoje os institutos de pensões brasileiros seriam gigantes, mais fortes que o BNDES.
Porém, se estivessem nas mãos petistas estariam quebrados, como todos os fundos de pensões estatais.
Antes do SUS o atendimento de saúde dos caixas de pensões brasileiros era considerado de primeiro mundo.
O sistema habitacional dos institutos resiste ao tempo, basta ver os conjuntos habitacionais do IAPI Brasil afora,que resistem ao tempo com mais de 60 anos.
A maioria das empresas possuíam supermercados com alimentos vendidos aos funcionários por preços de custo.
Suas farmácias cediam remédios com 50% de desconto e alguns alternativos gratuitamente.
Espero ter contribuído para os PORQUÊS de reformar-se a previdência.

bom dia

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

TRANSPARÊNCIA


Pois,
Enfatizo que as razões de todas as dúvidas é justamente a falta de informações.
Existem centenas de investimentos na Internet, que são pirâmides, e os incautos caem como patos.
Os slides, as fotos, as contas bancárias, mostradas em vídeos atraem enxames de asnos.
Assim o visual engana as realidades escondidas nas falcatruas.
Em 2002 eu já vislumbrava a decadência do Aerus.
Ainda corre na justiça um processo civil do antigo diretor, por ofensas via internet.
Ele quer tirar-me o único bem que me resta, minha casa.
Sequer, quisera saber que gosto teve os pães amassados pelo diabo que provei e alimentei minha família.
Minha luta teve poucos adeptos.
Todos endeusavam os diretores da VARIG, eram seus crepúsculos de ídolos.
Veio a Intervenção.
Associações e sindicatos realizavam palestras com diretores do Aerus inócuas, onde mentiam descaradamente.
Apresentavam planilhas, cálculos e slides de incompreendidas razões aos leigos.
Em 2006 veio o tombo.
A maioria desesperou-se, e começaram mobilizações em 2011, cinco fatídicos anos depois.
A antecipação de tutela chegou, e vários políticos e sindicalistas aproveitaram-se do momento para alegar suas paternidades.
Todos sabemos que a paternidade é do sistema jurídico.
A falta de transparência continua.
Ninguém nos dá informações alguma.
Falam de acordos, não nos mostram o acordo.
Aliás houveram diversos, sem nos mostrarem seus conteúdos, eram notícias alvissareiras de políticos e sindicalistas, que nada tinham a ver com o instituto.
Qual foi o acordo que fizeram?
Não sabemos.
Os gritos no silêncio de alguns participantes não valem nada, no escondido das atitudes daqueles que nos representam.
Reclamam, mas jamais vi alguém perguntar qual seus conteúdos.
Aqui não se trata do que é meu, ninguém tasca, eu decido.
Trata-se de o que é nosso, nós decidimos.
Jamais o sindicato fez uma convocação de assembleia para escolhermos um representante.
Poderia ser uma associação, a Aprus, ou talvez uma comissão eleita.
Eu pergunto o que tem a FENTAC com os nosso problemas?
O AERUS não é uma ação trabalhista.O sindicato ao promover a AÇÃO CIVIL PÚBLICA, nada mais fez do que sua obrigação constitucional.
É obrigação do sindicato defender os direitos de seus associados, em ações trabalhistas ou coletivas de interesses de partes sindicais.
A toda ação sempre haverá um reação.
Jamais podemos colocar interesses individuais acima dos coletivos.
Certa vez perguntaram ao falecido douto doutor Enéas, qual a finalidade da vida?
Ele respondeu que era o respeito ao próximo, sem coletividade ninguém vive, vegeta.
Muita gente chora suas privações, esquecendo que quase todos vivenciaram essa privações.
Esquecem que muitos morreram durante, e muito hão de morrer antes do final delas.
Não é agouro, é realidade.
Precisamos de transparências.
Evitar mal ditos, falsas informações e unirmo-nos como um feixe de varas.
A vara sozinha é facilmente quebrada.
As ações individuais, só prejudicam o próprio indivíduo.
Não foi a invasão do AERUS, que fortaleceu a decisão do TRF1, juízes não julgam causas por pena, caridade e indolências.
Juízes honestos julgam o que é justo.

"increscunt animi, virescit volnere virtus" 
"O espírito de luta é incentivado pelo poder das feridas"
Essa frase é do prefácio do livro de Nietzsche " O crepúsculo dos ídolos", permitam me colocar uma pequena parte.

Conservar a sua serenidade frente a algo sombrio, que requer responsabilidade além de toda medida, não é algo que exige pouca habilidade: e, no entanto, o que seria mais necessário do que a serenidade?
Nada chega efetivamente a vingar, sem que a altivez aí tome parte. Somente um excedente de força é demonstração de força. - Uma transvaloração de todos os valores, este ponto de interrogação tão negro, tão monstruoso, que chega até mesmo a lançar sombras sobre quem o instaura - um tal destino de tarefa nos obriga a todo instante a correr para o sol, a sacudir de nós mesmos uma seriedade que se tomou pesada, por demais pesada. Qualquer meio para tanto é correto, qualquer "caso", um golpe de sorte.
Sobretudo a guerra. A guerra sempre foi a grande prudência de todos os espíritos que se tornaram por demais ensimesmados, por demais profundos; a força curadora está no próprio ferimento. Uma
sentença, cuja origem mantenho oculta frente à curiosidade douta, tem sido há muito meu lema:
"increscunt animi, virescit volnere virtus."
Uma outra convalescença, que sob certas circunstâncias é para mim ainda mais desejável, consiste
em auscultar os ídolos... Há mais ídolos do que realidades no mundo: este é o meu "mau olhado" em relação a esse mundo, bem como meu "mau ouvido"... Há que se colocar aqui ao menos uma vez questões com o martelo, e, talvez, escutar como resposta aquele célebre som oco, que fala de vísceras intumescidas - que encanto para aquele que possui orelhas por detrás das orelhas! - para mim, velho psicólogo e caçador de ratos que precisa fazer falar em voz alta exatamente o que gostaria de
permanecer em silêncio...
Também este escrito - o título o denuncia - é antes de tudo um repouso, um feixe de luz solar, uma
escorregadela para o seio do ócio de um psicólogo. Talvez mesmo uma nova guerra? E novos ídolos são auscultados?... Este pequeno escrito é uma grande declaração de guerra; e no que concerne à ausculta dos ídolos, é importante ressaltar que os que estão em jogo, os que são aqui tocados com o martelo como com um diapasão, não são os ídolos em voga, mas os eternos; - em última análise, não há de forma alguma ídolos mais antigos, mais convencidos, mais insuflados... Também não há de forma alguma ídolos mais ocos... Isto não impede, que eles sejam aqueles em que mais se acredita; diz-se também, sobretudo no caso mais nobre, : que eles não são de modo algum ídolos...
Turim, 30 de setembro de 1888, no dia em que chegou ao fim o primeiro livro da Transvaloração de todos os valores.
Friedrich Nietzsche

Para finalizar sugiro a leitura.
Bom dia
Fui.
link para o livro:
https://veele.files.wordpress.com/2010/02/crepusculo-dos-idolos.pdf



segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

AME-0 OU DEIXE-O

Pois,
Impasse é uma situação sem controle.
Não podemos falar de parlamentarismo com um congresso corrupto.
As ações de colocar apaniguados corruptos nos ministérios pelo presidente, lembram o pseudo parlamentarismo do segundo império brasileiro.
Poucos devem saber, mas Dom Pedro II sofreu um golpe legislativo tal e qual sofreu Dilma.
Em ambos os casos o parlamento corrupto prevaleceu.
Não sou militarista, mas tanto a revolução de 1930 quanto a de 1964, foram militares.
Pior que isso foram nosso melhores anos.
Nosso presidencialismo não é igual ao americano, é apenas um pseudo parlamentarismo às avessas.
Não elegemos parlamentares, apenas mitomaníacos corruptos.

Nosso sistema jurídico não é romano nem "common Law" americano.
Aqui permanece o direito dos manos desde o Império.
O sistema jurídico americano é o mais econômico e o mais justo, mesmo cometendo injustiças.
Nosso sistema jurídico é para apaniguados.
Fazem-se tribunais para justiça do trabalho.
Fazem-se delegacias para menores e mulheres.
Fazem-se leis para cumprir-se leis, tais como:
Homofobia, racismo, feminicídios, idosos e adolescentes.
Nosso país tem 3 vezes mais pessoas no judiciário que os americanos.
Cágados andam mais depressa que nosso processos.
Enquanto a suprema corte americana julga somente processos federais, nosso STF julga até hábeas corpus de criminosos comuns.
Na América criminosos presos em flagrante não tem direito à apelações.
Aqui condenados em segunda instância recorrem ao supremo.

Não podemos fechar as empreiteiras da corrupção, serão milhares de desempregados e centenas de obras paralisadas, temos de fiscalizá-las depois de licitadas.
Em países honestos investigados por corrupção pedem demissões de seus cargos.

A mitomania brasileira produz boatos e fofocas.
Tem alguns imbecis que pedem a volta da monarquia.
Ora, vivemos a monarquia do executivo e a complacência legislativa com apoio do judiciário.
Três poderes distintos é uma mentira da porra.
Precisamos de novas leis trabalhistas. Àquelas que os empregados acordam com seus patrões.
Precisamos de novas posturas previdenciárias, dando igualdade a todos os cidadãos do país.
Agora em minha opinião todo e qualquer serviço que a idade interfira nos seus julgamentos profissionais, tem de ter aposentadorias antecipadas. Militares, policiais civis e militares de combate à criminalidade e à defesa do país não podem fazê-las aos 65 anos.
Temos a classe de aviadores, que não podem mais comandar aeronaves aos 65 anos.
Porém não é justo um sujeito ganhar 2 aposentadorias do erário.
Enquanto sindicatos americanos administram fundos de pensões e protegem seus afiliados, no Brasil são tentáculos de partidos políticos roubando trabalhadores.
Aqui há federações de sindicatos dos sindicatos.

O impasse está posto.
Somente podemos mudar pela força ou voto.
Como ninguém nesse país quer ser herói, convocam as forças armadas.
Os corruptos se defendem com as associações criminosas, provocando a desobediência civil.
Ou nos associamos ao PCC, ou voltamos ao velho lema:
AME-O OU DEIXE-O.
fui...


quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

CABELUDO DE NÃO SABER

Pois,
Adoro ver as pessoas citarem personagens da história como se fossem deuses mortais, ou ídolos de edeologias baratas.
Dois personagens da história nunca escreveram nada, talvez porque não sabiam escrever, ou nunca existiram. Jesus cristo e Sócrates tem suas vida cantadas e enaltecidas, um por Platão, outro por diversos ditos apóstolos, que não conseguem contar metáforas ou histórias parecidas.
Falar de Sêneca que foi conselheiro do aloprado imperador Nero.
Gandhi cujas amizades nazista não são comentadas.
Karl Mark que copiou as comunas das reduções jesuíticas católicas do século XV.
Não vejo um muçulmano radical ter as atitudes de Saladino, hoje esses agem como a Igreja católica durante a inquisição e as cruzadas.
Não vejo e acho engraçado que vira e mexe na bosta todo mundo cita Hitler.
Qual a história da ascensão de Hitler ao poder.
Ninguém se interessa.
Criticam seus erros, claro que que são terríveis, mas esquecem justamente de todo o processo de sua ascensão.
As multas impostas e os acordos pós primeira guerra impuseram ao povo alemão pobreza, fome e exílio na Europa.
Os judeus tinham permissão para viajar para onde queriam.
Sua maioria trabalhava em bancos e instituições públicas, ou tinham seus próprios negócios de exploração.
A Alemanha estava proibida de ter acesso irrestrito ao Petróleo e outros benefícios dos países vizinhos.
Um empregado alemão necessitava de um carrinho de mão para carregar seu salário.
Não havia bens disponíveis no mercado.
Em 1923 os preços aumentaram 452.998.200 de vezes.
Para imaginar digamos que 1 litro de leite de 2 reais, custasse 1 ano depois 905.996.400,00 reais.
A Alemanha sobreviveu baseada nos sistema FAIR TRADE.
Chegou um dia que a passagem de bonde custava 1 bilhão de marcos.
Hjalmar Schacht salvou a Alemanha.
Passaram a usar o carvão como fonte de gasogênio.
Construíram empresas sólidas.
TECNOLOGIA, SEM PEDIR NADA A NINGUÉM;
SANÇÕES CRIMINOSAS
Um povo morrendo de fome e frio
Algum filho de uma puta vai dizer que isso não inocenta Hitler, mas inocenta um povo.
Quando a Alemanha seguia seu rumo Hitler era a salvação.
Usou os judeus como escudo.
Fizeram aviões mais modernos, submarinos e navios com alto poder ofensivo, tanques de guerra poderosos, sem o auxílio de ninguém.
Teriam a bomba atômica primeiro que o chamado primeiro mundo.

Agora no Brasil durante nossa época mais brilhante economicamente, colocamos como PRESIDENTE um HITLER ÀS AVESSAS.
UM HITLER QUE DESTRUIU O PAÍS.
SEM NACIONALISMO, SEM PATRIOTISMO, UM IDIOTA QUEBROU O PAÍS, SEGUIDO CEGAMENTE POR SERES HUMANOS IMBECIS POLITICAMENTE CORRETOS.
O PECADO DE HITLER FOI original, o pecado da mula nordestina de Garanhuns 
foi mortal.
Deixem os americanos decidirem o que é melhor para eles, já que aqui nós escolhemos sempre o que é pior para nós.
Eu costumo afirmar a lei de Emílio(meu avô):
- O que a boca fala o CU paga.
Hjalmar Schacht é pai falecido do plano real de 1994.
Eu me sinto cansado de FDM ou favores de merda.
Não quero fila especial, ou passagens de coletivos gratuitas, quero saúde e segurança, e poder retirar os muros e as cercas eletrônicas de nossas casas.