domingo, 18 de janeiro de 2015

O bate-papo do momento!

Pois,
O bate-papo do momento é Charlie Hebdo, ou se os muçulmanos são intolerantes.
Tolerância é igual a definição de herói ou traidor, sempre dependerá de que lado você se encontra.
Heróis de um lado são traidores de outro.
No Brasil há mais de 50000 assassinatos por ano, e no mínimo 40000 deles serão impunes.
No Brasil há mais de 50000 mortes no trânsito por ano e 99% dos causadores ficarão impunes.
No brasil há mais de 40000 mortos por ano, por falta de atendimento de saúde, e 100% deles ficarão impunes.
No Brasil há mais de 700000 presidiários, e mais de 300000 mandatos de prisão não cumpridos.
No Exterior há mais de 3000 brasileiros presos, e o governo brasileiro pratica ajudas humanitárias aos indivíduos criminosos, levando lhes comida, roupa, materiais de higiene e de cama.
A tolerância jurídica brasileira atem cheiro de fezes, ao criticar a Indonésia.
A Indonésia pais intolerante com traficantes e com punições não muito rigorosas a terroristas.
Muito bom aos terroristas.
Já o nosso Brasil é imensamente tolerante com traficantes, terroristas, motoristas assassinos, homicidas, estupradores e pedófilos, sem falar nos corruptos.
O que me deixou boquiaberto foi o governo interceder contra a pena de morte imposta ao traficante.
Os traficantes e seus clientes são os maiores culpados pelos crimes que acontecem nesse país, onde a impunidade é resistente ao sistema.
A presidente diz-se consternada.
Os mortos citados acima em assassinatos, em acidentes de trânsito, em campos de concentrações dos hospitais brasileiro, as crianças abusadas sexualmente, as mulheres estupradas, não causam consternação nenhuma.
Eu não sou partidário da pena de morte, exceto para traficantes, e castração química opcional aos pedófilos e estupradores, em troca de prisão perpétua sem parole.
Traficante de qualquer espécie é o maior criminoso de uma sociedade.
O governo indonésio fez um Pedido de clemência para um cidadã do país que cometeu homicídio para roubar , senão leve engano meu na Arábia Saudita, que foi condenada à morte.
Eis aí, para quem me lê, o paradoxo da tal TOLERÂNCIA.
Aqui toleramos os piores crimes possíveis, e queremos criminalizar imbecilidades, como homofobia e afins.
A intolerância racial, sexual e afins começa nas escolas.
A tolerância aos traficantes e vícios começa aonde?
Nas escolas!
Com imenso pesar registro que nossos governantes esqueceram da educação de seu povo.
A partir do momento que defendemos criminosos e seus crimes, não se pode reclamar dos caminhos seguidos por seus jovens desassistidos.
Não pensem em facilidades de derrubar o governo petista.
Qualquer intenção de impeachment à atual presidente nos levará a uma guerra civil, já instalada.
Difícil dizer, se nossas forças armadas estarão preparadas para enfrentar o povo.
O povo está ao lado deles, infelizmente.
Aos religiosos, peço encarecidamente que não rezem, afinal o deus de vocês é brasileiro.
Pra derrubar o PT  temos de ser intolerantes e fazer pacto com satanás.
bom dia...




4 comentários:

  1. Olá. Primeiramente vou me enquadrar pessoal e politicamente, embora não queira que isso sirva para nada além de te situar na hermenêutica do meu pensamento. Sou católico apostólico romano pela graça de Deus, engenheiro e monarquista. Estudo política há uns cinco anos - período semelhante ao que estudo filosofia, embora não de maneira formal, o que pretendo fazer em breve na faculdade dominicana em Bologna, Itália. Ministro um curso de política, que teve início neste semestre e resolvi assinar seu site. Tenho 26 anos de idade e, embora não tenha vivido os períodos monárquicos e militares por motivos óbvios, tenho estudado muito sobre eles de pessoas bem entendidas e duma honestidade intelectual ímpar.
    Como católico, obviamente sou conservador e tão óbvio quanto, sou de direita. Não sou liberal, pelo liberalismo ser tão imoral quanto o pensamento de esquerda nem tampouco um reacionário, pois o espírito reacionário é, no fundo, revolucionário também - o qual é imoral também.
    Minha preferência a respeito de formas de governo é pela monarquia. Em breve escreverei um artigo sobre e definindo que tipo de monarquia eu defendo e o porquê.

    ResponderExcluir

  2. 4 - Você se diz "não partidário" da pena de morte, mas a aceita em determinados casos, como é o caso de um traficante. Oras... ou se aceita que um ser humano, ou uma entidade humana, tem direito de tirar a vida de outro ser humano ou conjunto destes, ou então não se aceita. A realidade sobre a pena de morte é deveras complexa. Há alguns dias, escrevi um pequeno excerto no qual apenas apontei superficialmente a complexidade da pena, em especial neste caso na Indonésia. Abaixo irei linká-lo para você.
    Perguntas como: Pode um ser humano tirar a vida de outro? Se sim, o que diferencia um serial killer de um governo que executa penas de morte, de um homem que matou a esposa que o traiu, de uma mãe que assassinou seu filho em processo de aborto, de um sujeito egoísta que assassinou seu pai idoso num processo de eutanásia, etc.? Ou ainda, podemos perguntar: Por que seria justo matar um criminoso e não seria justo fazer uma guerra?
    Ou porque seria justo matar o ser humano que cometeu o erro de traficar, e com isso destruiu famílias de desconhecidos e não seria justo matar o ser humano que cometeu o erro de trair a esposa ou de se divorciar e com isso destruiu a própria família? Por que seria justo castrar um pervertido sexual que se prostituiu cometendo crime de estupro e não seria justo castrar um sujeito pervertido sexual que vê pornografia na internet e, com isso, estimula a economia pornográfica que fomenta a indústria de prostituição (legal e ilegal) e que, além de poder vir a se tornar um estuprador (já que perdeu o controle sobre seu corpo), estimula muitos outros (através de sua contribuição financeira pelo click do mouse - acessos) mantém um site que leva outros indivíduos mais propensos que ele a desenvolverem tal doença psicótica?
    Mas estas ainda são questões deveras muito superficiais no tema. De fato, como católico, creio que exista a pena de morte justa, e inclusive a guerra justa. Mas todas as questões devem ser respondidas.
    A coisa se complica mais quando pensamos no Mandamento: "Não matarás". Como se defender a pena de morte diante deste Mandamento da Lei de Deus?
    Por acaso os criminosos são menos humanos por seus erros que eu ou você? Acaso perdem a humanidade por descumprirem uma lei social ou por descumprirem a Lei Natural? Afinal... não é "não matarás, a menos que...". Por outro lado, este mesmo Deus comandou guerras e venceu guerras para os judeus em diversos momentos. Basta ler sobre o santo Rei Davi ou sobre o santo profeta Moisés.

    5 - "Pra derrubar o PT temos de ser intolerantes e fazer pacto com satanás". Perdoa-me o termo, mas NEM FODENDO. A parte do intolerante, depende a que. Devemos não só ser intolerantes como odiar e ensinar nossos irmãos a odiarem muitas coisas. O PT é uma delas. Odiar o PT, sua ideologia, sua práxis, etc. Mas ainda sim amar as pessoas. Sim, estou dizendo que, por mais difícil que nos seja, devemos amar a Dilma e o Lula. Dói escrever isso, mas é nosso dever. Entretanto, que seria amá-los? Um grande exemplo de amor vemos nos pais que, ao corrigirem o filho através de um exemplar castigo ou, se necessário, de uma bela coça estão de fato amando-o. Outro exemplo vemos na Igreja ao excomungar (fechar as portas do céu) para um indivíduo passível de excomunhão (como um assassino, um comunista, um abortista, etc.) também está o amando. O simples fato de dar uma chance, ou todas as chances é um ato de amor. Inclusive para aplicar uma pena de morte justa, esta tem que ser um ato de amor. Difícil de entender no começo, mas em breve escreverei mais sobre.

    Deixo-te agora meu link. Se possível, compartilhe meu site. Nele há um fórum caso queira acompanhar e participar. Respeite as regras. Ele anda meio parado, mas vai começar a se movimentar. Por favor, se puder ajudar-me na divulgação de meu trabalho, fico agradecido.

    In corde Iesu, cum Maria Sanctissima et sub Petro. Ad majorem gloria Dei. Semper.

    http://veritatis.x10.mx/thinking/2015/01/19/sobre-a-pena-de-morte-uma-analise-breve/

    ResponderExcluir
  3. Bem, você se diz estudioso de política e monarquista. Voilá! excelente!
    Então deve conhecer as multi semelhanças da constituição de 25 de março de 1824 com a nossa constituição "fodida" de 1988.
    A corrupção nesse país é de pai pra filho desde 1807.
    Não houve grito de independência do Ipiranga ou afins.
    O tal dom pedro apenas formalizou o que o pai dom joão VI havia feito, transformado em país aliado a coroa portuguesa, por motivos jurídicos, para não perder o reinado português por abandono da corôa.
    Você se posicionou como religioso, sou ATEU.
    E também estudo filosofia, embora sem recursos para ir a Bologna.
    E garanto com muita simplicidade que não dá para estudar filosofia tendo já postos de vista filosóficos religiosos instituídos. O ATEÍSMO da filosofia é uma paradoxo aos religiosos.
    A religião é uma mentira.

    ResponderExcluir
  4. Perdes a razão ao diálogo, quando tu sendo arrogante, pedes desculpas pelo IDIOTA.
    Argumentos religiosos não me convencem.
    Apesar de ser ateu, não ensino ninguém a odiar, NADA, mas apenas tolerar cinicamente algumas merdas.
    Tolerar para não sofrer represálias.
    Não tolero o homossexualismo nem que a vaca tussa, mas finjo ser tolerante.
    Pedófilos e traficantes devem ser punidos com a morte, assim como corruptos do erário público.
    Finalizando seu subjetivismo, nada é mais subjetivo do que o amor.
    Amor é um sentimento realizado pelos 5 sentidos. Aliás sem dois deles nunca haveria AMOR, o olfato que sente os feromônios e dá a excitação e o tato que possibilita o orgasmo.
    A visão e a audição não prejudicam o sentido do amor, apenas o evidenciam mais.
    Pessoas com lesões cerebrais que perdem o olfato e o tato, também perdem o paladar e suas capacidades de amar ou sentir amor.
    Não posso amar a um deus, que não tem cheiro, não ouço, não vejo e não consigo tocar, isso está longe das minhas capacidades mentais.
    Sou idiota, mas não arrogante, nem BURRO de acreditar no impossível.
    A fé cristã é igual a muçulmana, matou milhares em nome de Jesus, eles apenas estão dando o troco.
    bom dia...

    ResponderExcluir