sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Baixos salários?

O PoPa andou lendo que a guria está querendo um aumento de salário para seus ministros. Alega que os valores estão "fora do mercado". Bem, a que mercado ela se refere? Certamente, não ao mercado privado, onde executivos precisam provar que são eficientes e que promovem o desenvolvimento da empresa dentro de um espaço extremamente competitivo. São profissionais escolhidos pela sua capacidade técnica, pelo seu conhecimento e pela sua qualificação. Seus curriculos são análisados friamente pelos controladores das empresas, para que somente os melhores tenham condições de chegar a estes cargos.

Dito isso, o PoPa fica imaginando o que seria de uma empresa privada, se escolhesse seus executivos apenas levando em conta seu apadrinhamento, sua posição política, seu alinhamento com determinadas posições. Bem, não precisa ser um gênio para saber que esta empresa estaria fadada ao fracasso.

Mas o PoPa também fica imaginando os motivos que levam tantos "profissionais" a quererem estes cargos, tão mal remunerados. Por que não se apresentam ao tal "mercado", que tanto paga por seus serviços? Ah, sim, deve ser por conta da possibilidade de trabalhar pelo bem comum...

2 comentários:

  1. O que anima este pessoal não é o salário base, mas sim o CPF ou seja a Comissão Por Fora.

    As taxas cobradas por fora para a aprovação de projetos etc. fazem com que, para quem não liga para a ética, a honestidade e a moralidade, um cargo político mal remunerado valha a pena.

    ResponderExcluir
  2. Entendo que se não recebessem nenhum salário já estariam sendo bem pagos por tratar-se de "Cabide de Emprego" e para os quais não há nenhuma necessidade ou carência de capacitação. Para tanto basta ser "cumpanhêru".
    Quem não tem formação, capacitação e experiência encontra nos cabides de emprego a realização dos seus sonhos de status e ganhos financeiros que jamais teria ou ganharia num empresa privada.

    No Brasil por ser um país políticamente corrúpto, estará sempre a um passo da fortuna com ganhos ilícitos o que tem sido uma constante no governo onde impera a impunidade.

    Portanto ratifico minha tese de que se não há necessidade de salário, quanto mais de aumento

    Sempre digo que o dinheiro do povo nao tem dono é de quem roubar primeiro.

    ResponderExcluir