terça-feira, 18 de novembro de 2014

FATORES TELÚRICOS

Pois,
Muita gente desconhece os porquês, de serem religiosas, de torcerem para determinados clubes de futebol, de serem socialistas, ou comunistas, de defenderem suas tradições geo-culturais, etc e tal...
Vivemos num país de semiliberdades.
Se você nascesse no no Irã, seria mortalmente obrigado a ser muçulmano, se fosse mulher, provavelmente teria seu clítoris removido, e seria escrava pelo resto de sua vida.
Nós somos frutos do meio ambiente em que nascemos.
Alguém já tentou descobrir porque nós torcemos para determinados clubes, ou se somos adeptos dessas ou daquelas religiões?
Não parece óbvio, mas é.
As religiões são heranças deixadas pelos nossos pais e antepassados, exige muita reflexão para deixá-las, trocá-las, segui-las ou simplesmente ignorá-las.
Os clubes de futebol, também podem ser heranças de nossos parentes, ou de ocasiões no tempo, ninguém torce para perdedores, inda mais quando criança.
Sou gremista, meu avô, meu pai, na década de 1960 eu era vencedor.
Sou ateu, embora estudado em colégio Lassalista, batizado, crismado e catequizado na religião católica.
Fui socialista, "brizolista" na verdade, e refletindo essas épocas, tudo foi fruto do meio ambiente.
O Rio de Janeiro foi meu segundo lar, e apesar de ter sofrido muito pelo fato de ser gaúcho, nunca dei a mínima pelo fato de me perguntarem dez vezes ao dia se eu era de Pelotas.
Sempre respondi que eu nascera com duas.
Esse "bullying" social existe no Brasil desde sempre. Essa intolerância entre as regiões permanece até os dias de hoje.
São Paulo a terra do dinheiro, o Rio Grande a terra dos gays, o Rio a terra dos malandros, Minas a terra dos cansados, Bahia a terra da preguiça, Santa Catarina a terra dos manés, e por aí vai se discriminando os iguais.
Até o que se come no cotidiano é fruto do meio ambiente.
Torna-se muito difícil a fuga das raízes.
A pobreza é desconhecida pelo sul e sudeste do país.
Há capitais brasileiras em que ricos e classe média são apenas políticos, seus parentes e os funcionários públicos.
Teresina, São Luiz e Belém são algumas delas.
Enchem os telejornais de matérias sobre as favelas paulistas e cariocas, mas esses jornais nunca visitaram as cidades citadas.



  Palafitas de Belém, assentamento sem luz, água e esgoto de Teresina, e favela de São Luiz.
Fica no ar a pergunta aos habitantes do sul e sudeste que votaram no continuísmo desse governo crápula que hoje temos, vocês sabem porque esse povo vai continuar pobre e faminto?
Continuem dando-lhes sardinhas, matam-lhes a fome mas não lhes tiram do chiqueiro.
A única obesidade que conhecem é o amarelão.

   
 Para mudar é preciso refletir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário