sábado, 25 de julho de 2009

Tarso Genro ataca candidatura de Dilma

do site do Dep. Aleluia - AQUI

Em conversa com um marqueteiro, o ministro da Justiça, Tarso Genro (PT-RS), lamentou que, mais uma vez, tenha sido preterido como candidato a presidente da República, mesmo sendo um nome mais preparado do que Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.

“Antes, fui desprezado em benefício de um operário. Agora, uma falsa doutora, politicamente irrelevante no Rio Grande do Sul e, de resto, no país, é contemplada com uma candidatura que divide o PT”, criticou Tarso Genro.

Ao comentar a reação de Tarso Genro com o deputado José Carlos Aleluia (DEM-BA), o marqueteiro não pediu reservas, o que, segundo o líder democrata, indica que as divergências dentro do PT são mais intensas do que a mídia tem noticiado.

Polícia Politica

O ministro da Justiça ainda não perdeu a esperança de ser o candidato do PT à Presidência da República e "vai à guerra".

Tem sido acusado de por a Polícia Federal no encalço do presidente do Senado, José Sarney, forma encontrada por Tarso Genro para contrapor a posição da ministra Dilma que, como o presidente Lula, tem apoiado incondicionalmente Sarney.

Tarso recorre ao mesmo expediente praticado no Rio Grande do Sul, onde a governadora Yeda Crusius (PSDB-RS) é alvo de investidas frequentes da Polícia Federal.

"A Polícia Federal tem sido usada por Tarso Genro como ´polícia política`, e ameaça a democracia. O stalinismo petista avança sobre instituições e pessoas e expõe a briga enfre facções da base de Lula", advertiu Aleluia.

Tarso considera-se intelectualmente mais preparado para disputar com José Serra (PSDB-SP) a sucessão de Lula e ainda lembra que é um petista autêntico, ao contrário de Dilma Rousseff.

Segundo o marqueteiro, o ministro Tarso Genro acredita que o PT estaria unido e trabalhando pela sua candidatura, “o que não ocorre com Dilma”.

“A ministra, além de não unir o PT, tem dificuldade em conviver civilizadamente com adversários, tem o hábito de humilhar os aliados”, alfineta Genro.

Há informações de que Dilma grita com figuras notáveis do governo Lula, sob qualquer pretexto. As mais recentes vítimas da “doutora” foram o presidente da Petrobras, Sérgio Gabrielli, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o secretário-geral Luiz Antonio Eira, do Ministério da Integração Nacional, cujo titular é Geddel Vieira Lima. O esculacho em Eira foi presenciado por empresários e pelo governador de Pernambuco, Eduardo Campos. Eira pediu demissão.

“Prepotente, Dilma não costuma perder tempo ouvindo explicações de outros auxiliares do presidente da República. Quando contestada, a ministra ameaça ligar para ´o chefe`", lembrou Aleluia.

2 comentários:

  1. Tarso é uma figura muito perigosa. Mas não sei se mais que Dilma. Na verdade, qualquer um dos dois deixaria o Brasil com saudades de da Silva.

    ResponderExcluir